Intercâmbio Técnico de Manejo do Cacau em Sistemas Agroflorestais

Nos dias 12, 13 e 14 de abril de 2023, aconteceu no município de Medicilandia- Pa o  Intercâmbio Técnico sobre manejo do Cacau em Sistemas Agroflorestais, Ministrrado pelo técnico da Empresa de Assitência Técnica e Extensão Rural  (EMATER), Sidevaldo Santana de Jesus. Na ocasião participaram colaboradores da Fundação Viver, Produzir e Preservar (FVPP), alunos das Casas Familiares Rurais de Anapu e Pacajá, com objetivo de socializar técnicas adequadas de manejo do cacaueiro em sistemas agroflorestais.

No dia 12 pela manhã houve um momento de socialização para compartilhamento de saberes onde todos os participantes comentaram o seu entendimento sobre a cultura do cacaueiro. O técnico Sidevaldo Santana iniciou comentando sobre a variabilidade genética do cacaueiro e os grupos de variedades do cacau, onde destacou as variedades forasteiro, crioulo e trinitário como variedades resistentes.

Ainda pela manhã, o sr. Ivan Dantas, produtor local, participou do momento comentando sobre a fermentação e secagem das amêndoas do cacau, destacando que a fermentação se dá melhor em dias chuvosos devido a estabilidade climátia em relação a mudanças na temperatura. Em um segundo momento, foi visitada a lavoura onde o técnico comentou sobre a polinização das flores do cacaueiro, onde demosntrou as tecnicas utilizadas atualmente para que seja possível fazer uma polinização manual eficaz.

No período da tarde o momento de discussão se deu na Câmara de vereadores do município de Medicilândia onde  a equipe técnica participou de uma  palestra ministrada por Paulo Albuquerque representante do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), sobre a Monilíase, doença do cacaueiro que atualmente se mostra uma grande ameaça para as lavouras de cacau em todo o mundo, destacando que no Brasil a doença está contida mas que há muitos desafios para a contenção da doença. Ainda no final da tarde, retornamos par a propriedade do senhor Braulio Costa Venturim para que fosse feito  isolamento das flores para que no dia seguinte fosse realizada a polinização manual de forma adequada.

No dia 13 pela manhã retornamos a propriedade do sr. Braulio Costa Venturim para a realização do teste de autocompatibilidade das flores do cacaueiro. O técnico Sidevaldo Santana explicou a importância, os materiais e as condutas a serem tomadas para esta atividade, sendo  prática que exige concentração e coordenação motora, pois as flores do cacaueiro são pequenas e bastante sensíveis. A polinização manual é realizada com auxílio de  uma pinça comum, onde é retirada algumas partes da flor (pétalas) com objetivo de deixar  amostra os grãos de  pólen da flor doadora. Posteriormente é feito o deposito na flor receptora para que os grãos de pólen cheguem até os ovários da flor receptora. Após a transferência de pólen de uma flor para outra elas são vedadas para que seja   observada se o processo deu certo. A polinização é recomendada ser feita nos horários mais frescos do dia.

No período da tarde a equipe se direcionou a Cacauway aonde foram ecebidos por Ademir Venturim, que contou a história da Cacauway e as dificuldades existentes, os processos de escolha das amêndoas fermentadas, tivemos também a presença Deputado Airton Faleiro que informou os projetos para a região da Transamazônica. Dando continuidade ao Intercâmbio, a equipe técnica se dirigiu a uma propriedade fazer a poda de formação em cacaueiro, Sidevaldo Santana comentou a importância das podas no Cacaueiro e as pragas e doenças que mais atacam essa cultura.

No dia 14 de abril, último dia de intercâmbio técnico em Medicilândia, o técnico Sidevaldo Santana ministrou uma palestra para a equipe, na Câmara dos vereadores do município.  O profissional da EMATER, falou a respeito de técnicas de poda de formação, desbrota e manutenção do cacaueiro. Também abordou a respeito da fase mais importante do beneficiamento do cacau, a fermentação, que é um processo microbiológico de ação enzimática e melhoramento do aroma e possui o intuito de reduzir a umidade e a acidez das amêndoas, seu processo inicia nos cuidados antecedentes desde a colheita e seleção de amêndoas para uma fermentação de qualidade. A fermentação pode ser realizada em cochos de fermentação ou caixas de madeira, é dividida em fases alcoólica e acética na qual ocorrem o revolvimento da massa e pode durar cerca de 5 dias ou mais dependendo das condições climáticas e pode atingir temperaturas 31 a 32°. No período da tarde foi realizada uma visita a propriedade do Sr. Hélido Trevisan, o qual possui roças de cacau de até 40 anos e algumas plantas de cacau enxertado. O agricultor possui um sistema de fermentação tipo colmeia, e também possui uma agroindústria na propriedade com sala de beneficiamento que produz geleia, chocolate e licores.