Oficina sobre manejo sustentável do cacau no município de Senador José Porfírio

No dia 23 de agosto de 2023, foi realizado um dia de campo sobre “Manejo Sustentável do Cacau” como atividade parte do Projeto “Solucionando o Quebra-cabeça da Amazônia sem Desmatamento’’, Comunidade Acesso I, no município Senador José Porfírio-PA a palestra iniciou com apresentação da equipe Fundação Viver Produzir e Preservar (FVPP), do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), e agricultores familiares.

Foto: FVPP/2023

O palestrante Sidevaldo Santana de Jesus – técnico agropecuária da EMATER. Começou falando sobre o objetivo do evento para promover a integração dos agricultores familiares e desenvolvimento econômico e uso sustentável dos recursos naturais da propriedade bem como o manejo do cacau.

O palestrante abordou sobre a cultura do cacau (Theobroma Cacao) especificamente sobre a poda, que serve para dar forma e equilíbrio, além de melhores condições de produção, por meio de

eliminação dos ramos doentes, secos, sombreados e malformados. Já a desbrota, uma poda superficial, que é utilizada para a retirada de brotos ladrões.

Além disso, foi explicado que a poda do cacau é dividida em duas etapas: poda de formação e poda de manutenção. A poda de formação melhora a forma da planta, assim é possível manter a planta mais baixa, mais produtiva e manipula os ganhos para ter uma boa forma que seja propícia a entrada de luz interna favorecendo a frutificação e vigor de galhos. Esta situação permite ter uma copa com altura e volume.

Por outro lado, a poda de manutenção dá as condições de produção a planta, por meio de eliminação dos ramos doentes, secos, sombreados ou malformados. A poda fitossanitária é realizada com a retirada de brotos, frutos infectados de vassoura de bruxa, podridão parda entre outras pragas e doenças, a melhor época para a poda é de outubro a dezembro, desta forma, quando chegar o período de florada principal (janeiro e fevereiro) a planta já esteja pronta para bom desenvolvimento de produção.

O ideal é que a planta fique numa altura de 3 metros para viabilidade do manejo de produção e colheita, tornando-a mais produtiva. Após o almoço os agricultores foram direcionados a prática ocorrida na propriedade do Sr. Japão, as áreas escolhidas foram respectivamente uma área nova para demonstrar a poda de formação e uma área mais velha para demonstrar a poda fitossanitária.

A oficina na comunidade sobre manejo do cacau reuniu 10 agricultores familiares sendo crucial para a troca de conhecimento, fortalecimento e melhoria da renda.  O principal trato cultural abordado foi a poda que quando feita corretamente pode aumentar a produção em cerca de 30% protegendo a copa da intensidade dos raios solares e preservando a saúde das plantas, removendo assim, os galhos e ramos não produtivos, doentes e secos que também interfere nos demais galhos e no crescimento da planta. Desta forma, o evento contribuiu diretamente para o aprendizado, proporcionando orientação técnica aos agricultores familiares.

Esta iniciativa é apoiada pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) e Agência Norueguesa de Cooperação para o Desenvolvimento (NORAD/Puzzle).