Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) no município de Altamira – PA

8 de abril de 2024

Entre os dias 24 e 27 de janeiro de 2024, foram realizadas visitas de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) no P.A Assurini – Altamira, aos agricultores cadastrados no projeto “Solucionando o quebra-cabeça da Amazônia sem desmatamento” – FVPP/IPAM/NORAD.

Foto: Cláudia Olímpio – FVPP (2024)

Esta se trata de uma época de preparo de área para plantio de novas lavouras. Neste sentido, as orientações técnicas tiveram ênfase na coleta e análise de solos para que sejam feitas as recomendações de adubação de acordo com a real necessidade de cada área. Outra orientação repassada aos agricultores foi sobre o plantio de sombreamento provisório e definitivo para as novas áreas, que é uma prática comum para proteger as mudas de cacau do sol direto, promovendo um microclima adequado para o seu crescimento e para fornecer um ambiente propício para o desenvolvimento de outras plantas que podem ser benéficas para o ecossistema da plantação.

Com o período de seca prolongado no semestre passado, alguns agricultores adiaram o início das podas de produção, que geralmente são iniciadas em meados de setembro/outubro, período esse que antecede o início do período chuvoso na região. Devido a essa demora do início das chuvas, alguns agricultores ainda estão finalizando o manejo da poda em suas lavouras. Para isto, foram recomendadas a aplicação de solução cicatrizante para que os cortes feitos não sejam porta de entrada para possíveis patógenos.

Ao final das visitas, foi aplicado um questionário com o objetivo de avaliar o grau de satisfação com a Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), oferecida pela equipe técnica da Fundação Viver, Produzir e Preservar- FVPP. É importante ressaltar que o período de chuva influencia diretamente na logística de visita nas propriedades das famílias cadastradas no projeto, levando em consideração o grande volume de chuvas no período de inverno amazônico e na infraestrutura das estradas nas comunidades atendidas.

Esta iniciativa é apoiada pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) e Agência Norueguesa de Cooperação para o Desenvolvimento (NORAD/Puzzle).