Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) no Município de Vitória do Xingu

De 06 a 11 de setembro de 2023, foram realizadas visitas de Assistência Técnica e Extensão Rural- ATER do projeto “Solucionando o Quebra-Cabeça da Amazônia sem Desmatamento” no município de Vitória do Xingu-Pá. As famílias contempladas nesta rodada de visitas estão localizadas nas seguintes comunidades: Kaytuká, Santa Terezinha, Baixada, São Sebastião e Travessão do 4 bocas.

Foto: Técnico Ricardo Arceno Alves (FVPP-2023)

As visitas têm como objetivo, a orientação técnica do manejo do cacaueiro às famílias do projeto. Nesta rodada de visitas, os técnicos abordaram assuntos ligados ao manejo de lavouras já estabelecidas, instalação, manutenção e manejo de viveiros e preparo de novas áreas para plantio de novas mudas.

Dentre as orientações direcionadas aos agricultores, foi recomendado que em novas áreas, o agricultor faça o balizamento do berçário de acordo com a direção do sol para melhor manejo e desenvolvimento da lavoura. Também foi orientado realizar análise de solo para que as adubações sejam feitas corretamente de acordo com a necessidade de cada área escolhida para plantio.

O cacaueiro é uma planta que necessita de sombreamento, diante disso foi orientado realizar o plantio de sombreamento provisório e definitivo. Para o plantio do sombreamento provisório, foi indicado o plantio da bananeira (Musa spp.) no espaçamento de 6m x 6m e sombreamento definitivo, as espécies indicadas foram o cumaru (Dipteryx odorata) e a andiroba (Carapa guianensis Aubl.) com espaçamento 20m x20m. é importante atentar o calendário das chuvas no momento do plantio do sombreamento, levando em consideração a disponibilidade de água no solo pra que as plantas não sofram com a escassez de água.

Para a implantação de viveiros para produção de mudas para o próximo ano, as orientações direcionadas aos produtores se basearam no cuidado na escolha da área de implantação da estrutura, onde a percepção do relevo e da disponibilidade de água afetam no bom funcionamento. O preparo do substrato utilizado nos viveiros também foi recomendado aos agricultores, sendo importante incorporar adubação orgânica da propriedade ao substrato comercial para garantir um vigor maior das mudas cultivadas.

Esta iniciativa é apoiada pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) e Agência Norueguesa de Cooperação para o Desenvolvimento (NORAD/Puzzle).